Defesa de Tese - Susana Durão, "Patrulha e Proximidade"



Susana Durão defendeu a sua tese de doutoramento em Antropologia, "Patrulha e Proximidade. Uma etnografia da polícia em Lisboa" no dia 14 de Novembro de 2006, no ISCTE, perante um júri composto pelos Professores Rosa Maria Perez, Gilberto Velho, Manuela Ivone Cunha, António Firmino da Costa e Graça Índias Cordeiro. A sessão durou cerca de três horas, em discussão intensa e interessante, perante uma sala recheada de amigos e familiares da candidata, estudantes, professores e... polícias!.


A tese pode ser consultada online no repositório do ISCTE: https://repositorio.iscte.pt/handle/10071/274

Livro - Os Habitantes de Alcântara


O livro de Frédéric Vidal, Les habitants d'Alcântara. Histoire sociale d'un quartier de Lisbonne au début du XX siècle, Presses Universitaires du Septentrion, 2006, foi lançado em Lisboa, no dia 27 de Fevreiro de 2007, na Nouvelle Librairie Française do Instituto Franco-Portugais, com apresentação de Miriam Halpern Pereira e do autor. A sala estava cheia e o evento foi um sucesso.

Reunião

No dia 21 de Novembro de 2006, foi feita uma reunião com a presença de todos os consultores e investigadores. Foram apresentadas investigações em curso: sobre o parkour em Lisboa, uma prática de rua com actores, contextos, itinerários e campos específicos (Lígia Ferro); sobre as formas como os polícias foram regulando o trânsito e os comportamentos sociais em Lisboa, entre 1890-1910 (Gonçalo Gonçalves).

Mesa Redonda

No dia 19 de Julho de 2006, foi feita uma reunião mesa-redonda onde todos os investigadores apresentaram trabalhos em curso e os problemas teóricos-metodológicos que enfrentavam.
Houve apresentações sobre as sociabilidades juvenis em torno do consumo e venda de estupefacientes (Marta Sofia Pinto); sobre sociabilidades juvenis e ocupação dos espaços convocadas por práticas de rua como o Parkour e o graffiti (Lígia Ferro).
Discutiu-se a vida urbana em cojuntos residenciais que começaram a caracterizar Lisboa desde os anos 60 (João Pedro Nunes) e o acompanhamento dos processos sociais e culturais implicados no realojamento de uma comunidade hindu em Lisboa, da Quinta da Vitória (Rita d’Ávila Cachado).
Já numa perspectiva histórica, discutiu-se a problematização das formas urbanas do século XIX e a construção de estruturações das sociedades urbanas a uma escala microlocal (Fréderic Vidal); mas também o papel dos polícias e da organização moderna policial desde o século XIX na ordenação das práticas e rotinas dos lisboetas e na definição de ruas e circulação rodoviária.

Arranque do projecto

Esta reunião, do dia 21 de Setembro de 2005, marcou o arranque do projecto "Rua" e contou com a presença de todos os investigadores e consultores.
Foram reflectidos problemas de ordem metodológica na definição do objecto "rua". Discutiu-se o recorte e a necessária definição de uma observação multisituada de jovens consumidores de estupefacientes (Marta Sofia Pinto).
Foram apresentadas as primeiras reflexões a partir de uma "etnografia itinerante" entre polícias nas suas rotinas de trabalho: formas de construção, negociação e afirmação de poder nas ruas, focalizando a segmentação de espaços urbanos produzida (Susana Durão).
Foi discutido como conhecer as sociabilidades em complexos habitacionais pode desafiar a situação do etnógrafo na vida urbana: nas dificuldades de acesso à vida doméstica, na multiplicação de situações da vida pública que devem ser definidas: "tipos", actividades, encontros, etc. (João Pedro Nunes).

Search this blog

© 2007 Etno-Rua. ISCTE - CIES | Contact Us